Nós

Em 2008, o Pedro realizou o seu sonho: fazer das baleias o seu dia-a-dia. Nasceu na Parede, mas tem alma alentejana e um pé no Atlântico. Das histórias de infância, contadas pelo pai, ficaram a de Moby Dick* e já aí, na luta travada entre o homem e o monstro nadador, era do lado deste que estava. Entre as suas escolhas na vida, estudou psicologia e mais tarde tentou as leis, mas o seu espírito é livre e é ao leme do Risso, que experimenta todos os dias essa liberdade. Apaixonou-se por uma açoriana e em 2003, muda-se para o Faial. Não é “homem cá da terra”, como se diz nas ilhas de Bruma, mas as ilhas já são também dele, pois veio pelo coração e é ao lado da sua mulher, Carla, Bióloga Marinha, que vive o seu sonho.

Nas suas viagens, cada dia é uma aventura e é assim que gosta de viver todos os momentos, em especial com aquele que, para ele, é o rei dos mares, o Cachalote. Quem parte com o Pedro em viagem, vem sempre com uma história para contar e, à tardinha, quando vira as costas ao Pico, os seus olhos dizem tudo, depois de um dia feito no mar.

Sabia que a frase de Herman Melville em Moby Dick (1851) “Chamem-me Ismael…”
Está entre as 100 melhores frases de abertura de romances na literatura mundial?
American Book Review